placa de identificação cachorro e gato coleira

Placa de Identificação: Qual a Importância para Seu Pet?

Equipar seu cachorro ou gato com uma placa de identificação durável e de alta qualidade é a melhor forma de prevenir que seu pet se perca. Basta prendê-la à coleira, colar ou corrente favorita do seu bichinho, de forma que o pet se sinta confortável o bastante com o acessório para utilizá-lo o tempo todo. Muitos cães e gatos nunca chegam a se reunir com suas famílias simplesmente porque não tinham uma placa de identificação com seu nome e alguma forma de contato com seus tutores. Mas é fácil garantir um final feliz mesmo que seu pet seja um expert na fuga!

Placa de Identificação é a resposta

Providenciar uma placa de identificação para seu cachorro ou gato é uma tarefa básica para qualquer tutor. Ainda assim, diariamente muitos pets amados se perdem sem uma coleira e uma placa de identificação para trazê-los de volta para casa. Panfletos colados em postes, anúncios em redes sociais, correntes em aplicativos de mensagens: tudo isso pode ser evitado se seu pet simplesmente tiver um pingente consigo o tempo todo. A placa de identificação é mesmo a maneira mais segura e rápida de ter seu pet de volta caso ele se perca.

Provavelmente você já viu um bichinho de coleira na rua e pensou: esse pet tem dono! O uso de acessórios em cachorros e gatos é um dos maiores e mais imediatos indicativos de que eles tenham uma família que os ama e cuida. Ao perceber que o pet está perdido, com fome ou sede, a maioria das pessoas somente se aproxima para ajudá-lo caso note sinais de que ele é bem cuidado, ou seja, de que possui tutores humanos. Com uma coleira, corrente ou colar, as chances de seu pet ser ajudado são enormemente superiores, evitando que algo ruim aconteça a ele. Mas, e quando outra pessoa for ajudá-lo? Como saberão onde o bichinho mora? Como conseguirão entrar em contato com sua família para que ocorra o reencontro? Essa é a importância da placa de identificação: muito além do nome do pet, um número de celular para contato com um de seus tutores é essencial.

Busque uma loja para pets que ofereça a placa de identificação incluindo a gravação do nome do pet, um telefone para contato (com DDD incluso) e a possibilidade de uma gravação adicional, onde você possa incluir alguma informação importante sobre seu pet.

cachorro fofinho usando pingente de identificação
Um pet que usa acessórios tem maiores chances de ser ajudado por uma pessoa que o encontrar. Foto: aacounty.org.

Mas meu pet nunca fugiu!

Infelizmente não é possível prever quando será a primeira fuga de um bichinho de estimação. São incontáveis motivos para que seu pet escape na menor oportunidade possível, sem que você perceba. Isso não significa que ele não te ame – de forma alguma! Mas, como a domesticação é algo relativamente novo para essas espécies, elas ainda seguem os chamados de seus instintos. Alguns cães e gatos fazem isso com maior frequência que outros, pode depender de fatores como idade, porte, raça, sexo, clima ou simplesmente ser uma característica individual do pet.

Entre os motivos para seu pet fugir estão seu faro, que é muito mais potente que o nosso, em geral – no caso dos cães, por exemplo, o faro é 44 vezes mais aguçado! Isso faz com que o cheiro de um alimento diferente, de um possível parceiro sexual ou de qualquer outro animal possa despertar sua curiosidade de uma distância muito grande. Seu cãozinho pode estar dentro do apartamento, no terceiro andar, e sentir o cheiro de um cachorro que passa na rua. Isso, aliado à pequena oportunidade de ver uma fresta aberta na porta, pode levar a uma fuga difícil de ser revertida.

Meu pet não gosta de usar coleira

É importante apresentar qualquer acessório ou produto novo ao seu pet gradativamente, de pouco em pouco. Nunca vá “com muita sede ao pote”, por assim se dizer. Seu bichinho deve saber que pode confiar em você, e que você não está fazendo algo contra sua vontade, mas sim pelo seu bem. Para isso, coloque a coleira, corrente ou colar em seu pescoço – talvez seja melhor equipar sem o pingente, em um primeiro momento, pois o balançar da placa de identificação pode causar maior estranheza ao novo acessório -, deixe e monitore por cerca de 10 minutos. Se seu pet não se sentir tão incomodado, supervisione uma hora ou um pouco mais de uso, sempre acompanhando a experiência com carinho, brincadeiras e petiscos.

Durante os próximos dias, troque a coleira por outra, ou remova e recoloque a mesma após alguns minutos, sempre monitorando e recompensando apropriadamente. Introduza o pingente em seguida, mantendo a associação positiva na mente do seu pet entre usar a coleira com placa de identificação e sensações boas, como carinho, diversão, atenção e o sabor de petiscos deliciosos. Jamais deixe seu pet sozinho vestindo a coleira enquanto não tiver certeza de que ele está completamente acostumado ao acessório.

A coleira não pode ser perigosa para meu pet?

Uma coleira, colar ou corrente do tamanho ideal para seu pet – em geral com um a dois dedos de folga entre a coleira e o pescoço do bichinho – dificilmente permitirá que algo escorregue para entre a coleira e o pescoço, ou seja, sem chances de seu petzinho acabar se enforcando em algum lugar. No caso dos gatos, especificamente, que tendem a subir em árvores e muros, saltando de grandes alturas, é recomendada uma coleira com elástico feita especialmente para gatos, reduzindo o espaço entre a coleira e o pescoço do bichano, mesmo sem reduzir o conforto do pet em usar o acessório.

Muitas pessoas dizem que acessórios ao redor do pescoço dos pets pode ser prejudicial, e isso tem sim seus fundamentos: quando for passear com seu pet, evite ao máximo prender a guia diretamente em um acessório preso ao redor do pescoço do bichinho, pois, caso ele tenha a mania de puxar bastante durante os passeios, isso pode acabar machucando-o. Para passear, o ideal é deixar a coleira com placa de identificação no pescoço e anexar a guia a um peitoral para passeio, por exemplo, que sustenta todo o corpo do pet ao mesmo tempo.

Outra dica importante é lembrar-se de verificar sempre se seu pet já cresceu demais para continuar usando a mesma coleira. Um acessório apertado pode ser incômodo e até prejudicial ao seu bichinho, e como eles crescem bem mais rápido que nós, é necessário checar com frequência a necessidade de substituir a coleira por uma maior.

cachorro feliz com coleira e pingente
Uma coleira com o tamanho certo para seu pet oferece apenas benefícios. Foto: iPaws.

Um microchip não é melhor?

Microchips são a última tendência em segurança para pets, mas precisamos falar sobre alguns pontos relevantes antes de você considerar esta alternativa. O microchip é um micro-circuito eletrônico com o tamanho de um grãozinho de arroz, tornando sua implantação sob a pele possível. Esse microchip para animais é dotado de um código exclusivo e permanente capaz de transmitir informações específicas, e já é obrigatório caso seu pet vá viajar para a Europa ou Japão, por exemplo.

Entretanto, nem tudo são flores, e a implantação do microchip em seu pet, além de exigir um investimento maior que a coleira com placa de identificação, pode ocasionar, em raros casos, a rejeição pelo organismo do bichinho, podendo surgir complicações a partir disso. Além disso, a funcionalidade do microchip é questionável, principalmente no Brasil, onde não há um bando de dados unificado com informações sobre todos os pets que possuem microchips. Para que alguém tenha acesso aos dados contidos no implante, é preciso ter um leitor específico e ser cadastrado em dois grandes bancos de dados de pets, o que já é muito raro em clínicas veterinárias do país, imagine na casa de quem encontrar seu cão ou gato.

Ao contrário do que muitos imaginam, os microchips implantáveis em pets não agem como um sistema de GPS, permitindo a localização em tempo real do animal em qualquer parte do mundo. O microchip é um implante inerte que somente é ativado caso em contato com um leitor daquele tipo específico de microchip, fornecendo então todos os dados que foram cadastrados na empresa responsável pelo implante – normalmente nome do pet, dos tutores, formas de contato e endereços.

Pelo bem do seu pet

Segundo dados do Renad (Registro Nacional de Animais Domésticos), em média, dos cães perdidos com identificação, 95% retornam a suas casas em menos de 48 horas; já dos cachorros sem identificação, 40% nunca mais voltam a seus lares. No caso dos gatos, aqueles que se perdem mas possuem uma identificação retornam para suas famílias cerca de 70% das vezes dentro de uma semana; porém os gatos sem identificação possuem apenas 40% de chance de serem vistos por seus tutores novamente.

pingente de identificação gravado folheado a ouro
A loja Pet Elegante oferece Pingentes de Identificação com gravação inclusa folheados a ouro, em aço inox ou em alumínio colorido. Confira!

Tendo isso tudo em mente, sua tarefa de hoje é fazer um carinho gostoso em seu pet e checar se ele possui um acessório com placa de identificação. Pense no quanto ele faria falta caso se perdesse, e pense no quanto ele precisa de sua família.

Além disso, se notar que o pet de algum membro da família ou amigo não possui uma placa de identificação, considere dar de presente uma coleira com pingente! Aproveite qualquer ocasião especial, como aniversário do pet ou do próprio tutor. Não há presente melhor de Dia das Mães ou dos Pais para quem considera seu pet como um filhinho de quatro patas!

  • Hermes Dagoberto

    Gostei do assunto de sua publicação, gostaria de ver se é pertinente de divulgar em meu site: link acima. Sds. Hermes

    • Hiury Anderson

      Bom dia Hermes, Pode divulgar sem problemas, só pedimos para colocar o link do nosso site junto ao artigo. Muito Obrigado.

  • Vera Silva

    Caramba!Gostei muito do artigo do seu site. Estarei acompanhando sempre.Grata!!!

    • Jean Pereira

      Muuuuito obrigado, Vera!!! Vamos fazer mais posts levando informações úteis pra todos os amantes de pets, então volte sempre mesmo, hein? ♥

Digite Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *