Como ensinar o cachorro a passear sem puxar a coleira

Para alguns tutores, passear com os cães pode se tornar um verdadeiro desafio. Nesses casos, o que acaba acontecendo, é que os pets acabam puxando demais a coleira e dando bastante trabalho durante o trajeto. Logo, algo que era para ser prazeroso e divertido para o animal e para o tutor, acaba se tornando uma grande dor de cabeça.

Em casos de animais de médio e grande porte, a situação é ainda pior, pois por terem muita força, esses cães acabam puxando demais a coleira e machucando os tutores. No entanto, nem sempre é fácil ensinar o animal e isso requer paciência de ambas as partes.

E se você não sabe como ensinar o seu cão a parar de puxar a coleira, não se preocupe. Neste artigo, nós vamos te ensinar tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Além disso, vamos te ensinar dois métodos que te ajudarão muito durante todo esse processo árduo que será educar seu cãozinho. Por isso, acompanhe até o final!

Métodos para que o cão pare de puxar a coleira

O método do biscoito

Essa maneira de ensinar o cãozinho pode ser a mais efetiva e mais simples para fazer com que o animal entenda que é errado puxar a coleira na hora do passeio. Em média, é necessário um mês com esse tipo de treinamento para que você consiga caminhar com o animal sem que ele puxe a coleira. Confira o passo a passo:

  • Para começar, encha a sua mão com os petiscos favoritos do animal. Em seguida, posicione o cachorro no seu lado esquerdo. Segure os petiscos em sua mão direita fechada bem na frente do focinho dele, a cerca de uns 3 centímetros de distância;
  • Depois, diga “vamos passear”, e comece a andar com o cãozinho. A cada um minuto, dê um petisco na boca do seu pet e elogie-o por caminhar com você em seu ritmo. Caso ele tente puxar você, pare os incentivos positivos;
  • Se seu cão tentar puxar você para a frente ou para o lado, pare imediatamente. Chame a atenção dele o chamando pelo nome. Peça-lhe para se sentar e elogie quando o fizer;
  • Quando ele for capaz de andar na coleira sem te puxar, comece a aumentar gradualmente a distância e o tempo do passeio. Siga todos esses passos até que seja possível caminhar distâncias consideráveis sem precisar recompensá-lo.

O método do sinal verde e vermelho

  • Comece a caminhar com o cãozinho. No instante em que seu cão esticar a coleira e puxar, fale em voz alta: “farol vermelho!”. Pare imediatamente, não dê mais nenhum passo e espere. Quando ele parar de puxar e dar alguma folga na coleira, chame-o de volta para você. Quando ele vier diga-lhe para se sentar;
  • Quando o seu cãozinho sentar diga “muito bem” e lhe dê uma recompensa. Retome a caminhada e fale: “farol verde!”. Se ele estiver caminhando adequadamente e olhar para você, dê a ele um petisco e elogie-o. Nesse tipo de treinamento é essencial incentivá-lo.

Dicas para que métodos funcionem:

  • Até que seu cão aprenda a andar sem te dar trabalho, considere que todos seus passeios serão sessões de treinamento. Mantenha essas sessões de treinamento diariamente, curtas e divertidas para seu amigo peludo;
  • É importante que o tutor entenda que os treinamentos não substituem exercícios físicos. Por isso, encontre outras maneiras de exercitar seu cãozinho até que ele tenha um comportamento adequado para caminhar com a coleira;

Qual a coleira ideal para passear com meu cachorro?

Coleira peitoral

Essas coleiras envolvem o peitoral do cachorro, dando a ele mais liberdade e conforto. Ela é usada em animais de pequeno porte como o Lulu da Pomerânia, o Yorkshire, Shih Tzu, Lhasa Apso e também o Poodle. Esse tipo de coleira também é recomendada para cães braquicefálicos, como o Pug, Boxer e Buldogue. Essas raças muitas vezes possuem um tórax mais proeminente e membros anteriores mais atarracados, sendo a coleira posta no peito a melhor opção.

Coleira de pescoço

Também conhecida como plana, é o tipo mais comum e ideal para cães de porte grande ou gigante. Logo, raças como Pastor Alemão, São Bernardo, Golden Retriever ou Labrador podem se adaptar bem à coleira de pescoço. Ela consiste numa coleira que fica ao redor do pescoço e é usada por cães que possuem um tórax mais estreito horizontalmente e mais alongado verticalmente, muitas vezes ultrapassando os cotovelos. A parte negativa desse tipo de coleira é que ela pode machucar o animal, por isso, tome cuidado durante os treinamentos com ela.

Coleira leader

Essa coleira envolve o pescoço e o focinho do animal. São indicadas para cães de porte grande ou médio e com a estrutura do tórax mais estreito e longo. Mas a principal indicação é para os cachorros que ficam muito agitados durante o passeio. Ao tentar puxar a guia, o focinho do animal é virado para baixo ou para o lado, impedindo o puxão da coleira e reforçando negativamente o comportamento.

O modelo é principalmente utilizado em pets em fase de aprendizado e adaptação de passeios. As raças mais indicadas para este tipo de coleira são: Golden Retriever, Border Collie, Beagle e Corgi.

Coleira martingale

Essa é a famosa coleira de pescoço, um pouco mais grossa e possui um fecho atrás. Ela aperta levemente o pescoço do animal caso ele tente puxar o tutor durante o passeio. Geralmente, ela é usada em cães de corrida, como o Galgo, Dobberman e Whippet, que possuem um tórax profundo, mas estrutura do pescoço delicada. No entanto, pode ser usada em todos os tipos de raça. A coleira martingale é similar ao enforcador, porém menos agressiva e mais confortável.

Coleira enforcador

Usada em raças com estruturas mais fortes e de comportamento agressivo, como Rottweilers, Dobermans e os cães do grupo Pit Bull. Ela ajuda a controlar com mais facilidade o animal. Elas causam um desconforto grande ao apertar no pescoço enquanto o cão puxa a guia. Deve ser usada com muita cautela e apenas durante os treinamentos, pois pode causar lesões sérias na região cervical.

Tentei todos os métodos mas não funcionou, e agora?

Caso as dicas e os métodos não funcionem e o seu cãozinho continue agitado na hora do passeio, talvez treinos de adestramento junto a um profissional possam ser essenciais. Alguns animais ficam muito ansiosos durante a caminhada, logo, com eles, o aprendizado pode ser mais difícil. Por isso, tenha sempre paciência, amor e lembre-se que nem sempre treinar o animal pode ser algo rápido e simples. Boa sorte!

Essa foi uma dica da Ana Luíza Brant diretamente para o seu pet!

Digite Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *